Saturday, December 10, 2005

O Tempo


Acabei de deixar o meu carro na concessionária autorizada para a revisão de praxe. Esperei um pouco e fui atendido por uma senhora de meia idade. Muito simpática, apesar da maquiagem carregada para quem trabalha na recepção da oficina numa revendedora de carros. Outra coisa que me chamou a atencão foi o fato de ser uma senhora. Nós geralmente não esperamos pessoas do sexo feminino trabalhando numa oficina de carros da mesma maneira que não esperamos um pessoa do sexo masculino trabalhando numa perfumaria. Mas, passado o meu reajuste dos sexos com as suas devidas profissões, a senhora me comunicou que o carro estaria pronto em cerca de uma hora e meia. Como hoje é sábado, o dia está belo e convidativo, fiquei pensando nessa perca de tempo na espera do carro ficar pronto. Resolvi então aproveitar o tempo e usar um dos computadores que a revendedora coloca à disposicão aos clientes.

Eu já havia pensando sobre esse assunto e hoje ele veio a calhar com a situção: O Tempo. Ouvimos várias tiradas sobre o tempo, sobre a importancia do tempo e inclusive dizemos que tempo é dinheiro. Mas existe uma frase de uma letra de uma música de algum tempo atrás que ficou impregnada na minha mente e não esqueço nunca. Não lembro quem canta e nem quem escreveu, mas essa frase está guardada comigo: "O tempo não pára no porto, não apita na esquina, não espera ninguem..."

O tempo realmente não pára no porto. Nós podemos parar no porto, mas não o tempo. Nós podemos parar em qualquer lugar que a nossa imaginação permitir, mas não o tempo. O tempo muda as nossas características, as nossas feições, os nossos corações, os nossos pensamentos, as nosssas responsabilidades, e assim mesmo insiste em não dar uma pausa. O tempo não muda mas nos faz mudar com ele, mesmo que seja só fisicamente. Apesar de todas as consequências que o tempo traz a nós seres humanos, há pessoas que preferem ficar "paradas no tempo" e perdem assim grandes oportunidades de se tornarem melhores e mais saborosas. Há outras pessoas que preferem se desenvolver com o tempo e aproveitam cada oportunidade para se tornarem melhores e mais saborosas, exatamente como os vinhos. Se absorvemos o tempo apenas vivendo cada dia exatamente como o dia anterior ou se absorvemos o tempo vivendo cada dia da melhor maneira que podemos ser, é uma escolha única e individual. O tempo não pára para ninguém, não escolhe correr mais rápido para uns do que para outros, raramente dá uma segunda chance. O tempo simplesmente passa e a escolha que podemos fazer é vivê-lo da melhor maneira ou simplesmente passarmos com ele.

Da mesma maneira, o tempo não apita na esquina. Muitas coisas que nos acontecem durante a nossa estada aqui nessa vida, acontecem de maneira inesperada. Se não fosse assim seria tudo muito previsível e monótono. Seria realmente muito monótono se já nascessemos sabendo onde iríamos estudar, que profissão teríamos, com quem namoraríamos e casaríamos, onde moraríamos e quando morreríamos. Prefiro o desafio de ter que descobrir o que a vida nos oferece no seu devido tempo. Sem dúvida, prefiro as descobertas. Mas o tempo não nos avisa nada. As coisas acontecem ao seu tempo, quer queiramos ou não. Não somos forçados a tomar decisões, mas se as tomamos ou não as tomamos, isso de alguma maneira estará influenciando o resto das nossas vidas. É nossa missão então não só decidir ir com o tempo ou parar nele como tambem estarmos prontos para cada decisão a ser tomada a cada instante. Pintar a casa de branco ou de azul? Ir ao cinema ou a um restaurante? Ou ir aos dois? Ter um, dois, três ou quantos filhos? Casar ou morar juntos? Vestibular para medicina ou para filosofia? Aposentar e não fazer nada ou aposentar e fazer algum tipo de trabalho voluntário? E as decisões são muitas e o tempo todo: simples ou complexas, fáceis ou complicadas ou complicadíssimas...mas se as fazemos ou não, elas, mesmo assim, se apresentam. E se decidirmos não tomar qualquer decisão, por se só já é a decisão que tomamos. E assim o tempo não pára e nem nos avisa do que estar por vir. Acontece, simplesmente e inesperadamente.

E finalmente, o tempo não espera ninguém. Nós podemos esperar que alguma coisa aconteça, mas isso não implica que o tempo pára para que nossas vontades e desejos sejam saciados. O tempo é implacável e não perdoa. Para nós fica apenas a parte mais difícil de sabermos quando parar, se parar, sabermos quando e o que decidir...e depois disso tudo, não perdermos tempo e nem o tempo porque, seguramente e irremediavelmente, ele não espera ninguém.

4 comments:

Bebinha said...

Antes de qualquer comentário, vou te dar um presente:

Reginaldo Bessa - O Tempo
by Reginaldo Bessa


O Tempo

O TEMPO NÃO É, MINHA AMIGA
AQUILO QUE VOCÊ PENSOU
AS FESTAS, AS FOTOS ANTIGAS
AS COISAS QUE VOCÊ GUARDOU
OS TRASTES, OS MÓVEIS, AS TRANÇAS
OS VINHOS , OS VELHOS CRISTAIS
AS DOCES CANÇÕES DE CRIANÇA
LEMBRANÇAS , LEMBRANÇAS DEMAIS
O TEMP0 NÃO PÁRA NO PORTO,
NÃO APITA NA CURVA, NÃO ESPERA NINGUÉM

VOCÊ VEM DEITAR NO MEU OMBRO
QUERENDO DE NOVO FICAR
EU OLHO E ATÉ ME ASSOMBRO
COMO PODE ESSE TEMPO PASSAR
O TEMPO É AREIA QUE ESCAPA
ATÉ ENTRE OS DEDOS DO AMOR
DEPOIS É O VAZIO , É O NADA
É AREIA QUE O VENTO LEVOU

O TEMPO NÃO PÁRA NO PORTO,
NÃO APITA NA CURVA, NÃO ESPERA NINGUÉM

O MEDO CORRENDO NAS VEIAS
DEIXOU TANTA VIDA PRA TRÁS
E A GENTE FICOU DE MÃOS CHEIAS
COM COISAS QUE NÃO VALEM MAIS
E FICA UM GOSTO DE USADO
NAQUILO QUE NEM SE PROVOU
A GENTE DORMIU ACORDADO
E O TEMPO DEPRESSA PASSOU

O TEMPO NÃO PÁRA NO PORTO,
NÃO APITA NA CURVA, NÃO ESPERA NINGUÉM

Bebinha said...

Fiquei sem palavras pra dizer algo aqui... porque no meio-tempo em que coloquei a letra da música aí em cima, fui tomar café e procurar meu passaporte (essa é outra história) encontrei dois textos, um de Line e outro meu, em resposta ao dela... e vi algo muito especial sobre o tempo e sua passagem, seu não-ficar, não-apitar, não-esperar.
Dá uma olhada no meu blog, postei os dois textos lá... chorando, evidentemente.
Então... dispense um comentário sobre o seu post, dessa vez, ok?

Marlú Norberto said...

Pensando no TEMPO, como foi muito bem colocado por você, o que mais me impressiona é que ele agora parece que corre mais depressa do que no meu tempo de criança. Fico a pensar que o Natal foi ontem e já estamos às portas dele outra vez. Foi como um piscar de olhos.Sendo assim, nossa responsabilidade de remi-lo é muito maior, se não, não faremos nada do que programamos. Esta aceleração será porque Jesus está para voltar? Então deveremos estar prontos para não acontecer como ocorreu com as virgens imprudentes.
Parabéns por ter-nos dispertado para gastar melhor o nosso tempo e acompanhar a sua pressa. Mais uma vez, I am proud about you. Sua mãe Marla.

beto said...

John,

Eu concordo com a sua mãe, eu nem vivi tanto assim, mas já consigo perceber que o tempo de hoje em dia é mais acelerado, mais urgente, mais agoniado e eu detesto isso. Minha meta é desacelerar, viver mais e aproveitar melhor o tempo que tenho. A gente precisa repensar as nossas prioridades para que possamos usar o tempo de uma forma que nos deixe mais felizes.
abração.